novembro 08, 2014

ESTAÇÃO DA ANATEL PARA MONITORAÇÃO DE COMUNICAÇÕES POR SATELITES ESTA EM OPERAÇÃO NA ILHA DO GOVERNADOR


Representantes da Anatel, da empresa Alcatel-Lucent e da Marinha realizaram hoje visita técnica à estação terrena da Agência para a monitoração e fiscalização das comunicações por satélites, localizada no Rio de Janeiro. 

A estação é equipada com avançada tecnologia, incluindo, entre outras funcionalidades, a capacidade de identificação e pesquisa de interferências, análise de mercado de satélites, testes com novas tecnologias, realização de estudos de compatibilidade eletromagnética, identificação do uso não autorizado de radiofrequência e avaliação de parâmetros técnicos.  
O projeto é uma das ações da Anatel relacionadas aos grandes eventos internacionais e foi possível graças a investimentos da ordem de R$ 15 milhões. A Alcatel-Lucent foi a vencedora do pregão pO presidente da Anatel, João Rezende, o superintendente de Fiscalização, Marcus Paolucci, e autoridades da Marinha, em visita técnica à estação de monitoragem satelitalara o fornecimento dos equipamentos da estação terrena e pela montagem, instalação e integração, treinamento e garantia de pleno funcionamento. Essa é a primeira estação do gênero no hemisfério sul. Somente oito países têm este tipo de infraestrutura operada pelo órgão regulador.  
A estação terrena da Anatel foi instalada na Ilha do Governador, na Estação de Rádio da Marinha, que também a utilizará, por meio de Acordo de Cooperação, para atividades com foco na Segurança Nacional. Participaram da visita técnica os presidentes da Anatel, João Rezende, e da Alcatel-Lucent no Brasil, Javier Jose Rodriguez Falcon, e o vice-almirante Paulo Cezar de Quadros Küster. 

O servidor Rodrigo Menezes, da Gerência Regional da Anatel em São Paulo, um dos integrantes da equipe que desenvolveu o projeto da estação da Agência, descreveu suas principais funcionalidades aos presentes. Na avaliação do presidente da Anatel, a estação é de fundamental importância para as atividades da Agência e um exemplo de projeto bem executado pela administração pública.


A Anatel e os grandes eventos internacionais

As ações da Agência mais diretamente relacionadas aos grandes eventos internacionais, entre eles a Copa do Mundo de 2014, são voltadas para a administração eficiente do espectro de radiofrequências visando ao planejamento das faixas de frequências para atendimento às demandas dos eventos, a autorização de uso temporário de radiofrequências, especialmente para cobertura jornalística internacional e a prevenção ou a rápida interrupção de interferências prejudiciais que provoquem impactos na realização dos eventos. É uma atuação focada no público especializado e com ênfase nos atores envolvidos na organização, segurança, cobertura de mídia, prestação de serviços, entre outros.

No âmbito da Agência, foram executados ou estão em execução 40 projetos, no valor de R$ 137,9 milhões (posição de 30 de abril). Nestes projetos, a Anatel conseguiu, por meio das licitações, uma economia de 13% em relação ao caderno de orçamentos, que previa o investimento de R$ 158,4 milhões. Os demais 13 projetos, estimados no caderno de orçamentos em R$ 12,6 milhões, estão em fase de preparação  (em pré-licitação ou com licitação em andamento). 

Em abril de 2012, Resolução do Grupo Executivo da Copa do Mundo Fifa de 2014 (Gecopa) previu a destinação de R$ 171,05 milhões, distribuídos entre os exercícios de 2012, 2013 e 2014, para a Anatel exercer suas atribuições durante os eventos esportivos, em especial na gestão do uso do espectro e no mapeamento de infraestruturas críticas de telecomunicações.
O planejamento inclui, para cada cidade-sede, estações de radiomonitoragem em pontos de interesse para a competição, como em estádios e aeroportos, além de equipamentos para testes de qualidade dos serviços móveis.

Os investimentos para a Copa são relevantes porque consistirão em importante legado com vistas ao aperfeiçoamento das atividades da Agência, em especial no campo da fiscalização. Ou seja, trata-se de investimento em ativos permanentes, que serão incorporados pela Agência para o cumprimento de suas atribuições legais, em benefício da sociedade.

Saiba mais sobre a estação
Com os novos recursos, o Brasil terá condições de: 
  • identificar interferências em comunicações por satélites geoestacionários, inclusive localizando com precisão a região onde se encontram as fontes emissoras que venham a prejudicar transmissões de televisão, rádio, de banda larga e de sistemas de controle de espaço aéreo via satélites.
  • avaliar a ocupação de posições orbitais e do espectro radioelétrico, além de identificar os satélites que estejam operando no Brasil.
  • identificar transmissões não autorizadas, sejam elas clandestinas ou por meio de estações terrenas não licenciadas, permitindo, ainda, a localização da região onde se encontram as estações nessas condições.
  • avaliar se os parâmetros técnicos autorizados no licenciamento de estações terrenas estão sendo rigorosamente obedecidos.
  • acompanhar migrações de tráfego entre satélites quando houver reposição de satélites em fim de vida útil por satélites novos, analisando se houve alguma degradação de desempenho.
  • firmar cooperação técnica internacional junto a outros países com vistas ao combate a interferências em satélites geoestacionários cujas posições orbitais sejam alocadas pela União Internacional de Telecomunicações (UIT) a outros países e administradas por outros órgãos reguladores.
  • realizar testes de compatibilidade eletromagnética da recepção de sinais de satélites geoestacionários em relação a sistemas terrestres.
  • testar novas tecnologias, como, por exemplo, o Carrier ID para identificação de estações transmissoras, estudos de efeitos atmosféricos sobre comunicações por satélites e novas modulações.
  • utilizar o sistema de geolocalização para identificar transmissões e pesquisar a região de localização da estação transmissora que esteja localizada no mar.
  • monitorar e combater interferências em transmissões associadas ao controle de espaço aéreo no Brasil. ser utilizada como suporte na ativação ou manutenção de estações terrenas da Marinha.
  • http://www.anatel.gov.br/Portal/exibirPortalNoticias.do?acao=carregaNoticia&codigo=33862
  • COLOBARAÇÃO Luiz Sérgio
    PU1-LOY
  • CADE A FISCALIZAÇÃO DA ANATEL, NAS REPETIDORAS DO ESTADO DO RIO DE JANEIRO, LOTADAS DE CLANDESTINOS E VOZ DE FALSETE ???

Um comentário: